As noticias e comentários do dia a dia de uma pequena aldeia da freguesia de Aldeia das Dez no concelho de Oliveira do Hospital.

.Novas noticias

. Nevoeiro de verão

. O CHEIRO DA SERRA

. SÓ DIGO A VERDADE

. PUREZA DE ESPIRITO

. RIO ALVA

. GOULINHO ESTÁ MAIS ...

. MONTE DO COLCURINHO

. FALSOS CRENTES

. ALDEIA DAS DEZ É LIN...

. GOULINHO --- REQUALIF...

. RECORDAR É VIVER

. AMAR A VIDA

. SENHORA DAS PRECES

. TOPONIMIA NO GOULINHO

. GENTE DO POVO

. A MINHA APRESENTAÇÃO

. O QUE SERÁ DO MEU GO...

. RECADOS

. ERICA VULGARES-----URZE

. MARCHA DO GOULINHO

.arquivos

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

Sexta-feira, 13 de Fevereiro de 2009

Um Povo só é Grande quando tem uma História...

        E o Goulinho tem uma linda história: a riqueza e a pureza das suas gentes. Este é o blog que construi para divulgar a tenacidade, a luta, deste povo serrano, que muito se orgulha, do passado das suas gentes  com confiança no futuro.

A vida dura dos Goulinhenses, nos meus tempos de criança, as gentes desta e outras aldeias serranas, alimentavam-se dos produtos que com muito sacrifício retiravam das terras que cultivavam tais como: batatas, cebolas, couves, nabos, pimentos, alfaces, tomates, feijão frade, feijão verde e outras qualidades de feijão (manteiga, catarino, etc.) centeio e milho sendo estes cereais os mais cultivados pois era com eles que se fazia o pão.

Todas as terras eram amanhadas desde o maior prado ao mais minúsculo pedaço de terra que desse para produzir qualquer produto.

Havia árvores de fruto plantadas pelos nossos avós, já velhinhas mas fazia-se todo o possível para as conservar até por representem sentimentalmente os que já tinham partido e outras mais novas já plantadas pelos nossos pais.

As videiras eram plantadas à beira dos combaros umas de estaca outras compradas nas feiras da região. Tínhamos as oliveiras tratadas com algum brio eram cavadas todos os anos. Tratava-se de uma árvore muito estimada graças ao seu maravilhoso fruto que nos dava o azeite para governo da casa durante o ano. Era escolhida a azeitona mais graúda que depois de curtida ficava em conserva num cântaro de barro para se ir comendo com uma fatia de broa.

Dava gosto ver nos meses de Março e Abril e Maio (nos campos mais regadios) nos chamados "prados" grupos de homens e mulheres a trabalharem as terras quase todas cavadas à mão. Faziam grupos de três ou quatro, em terrenos maiores podiam ser de seis pessoas que em linha viravam a terra, por vezes à ordem de um mandador. Quase sempre havia mulheres no meio por terem menos força, sendo que em termos monetários ganhavam metade do ordenado de um homem.

Quase todas as famílias criavam o porco que era morto no mês de Novembro ou Dezembro. Das suas carnes eram feitos os enchidos que eram secos no fumeiro ou seja na cozinha da casa, mais propriamente por cima da lareira.

Era na lareira onde à noite se reunia a família que havia troca de ideias dos mais variados assuntos. Rezava-se o terço, lia-se o jornal o Amigo do Povo ou a Voz do Santuário (jornal editado pelo Santuário de Nossa Senhora das Preces) cujo director era o Sr. Padre Mário Oliveira de Brito enquanto as raparigas faziam renda para o seu enxoval.

Quem não se lembra do encontro de rapazes e raparigas que era feito nas noites de verão no banco da Tia do Covão ou no balcão da Tia Surreição?

As crianças mais pequenas iam todos os dias à escola no Vale de Maceira, umas calçadas, outras descalças com um vestuário muito pobre. Quando chovia levavam uma saca a servir de capucha, saca essa que tinha servido para transportar as batatas de semente que vinham de Montalegre.

Na escola o inverno era duro… A senhora professora acendia uma braseira já com brasas que levava da sua casa íamos aquecer as mãos um ou dois de cada vez outras vezes não eram aquecidas na braseira eram aquecidas com a “menina-de-cinco-olhos” - a régua - que de vez em quando era roubada à professora e deitada para uma silveira que havia nas traseiras da escola.

Estou-me a lembrar das crianças que no inverno com neve e chuva vinham da Gramaça e que chegavam à escola todas molhadas… No intervalo das aulas as crianças recorriam aos moradores de Vale de Maceira para secarem a roupa. Estou-me a lembrar de uma senhora que nós chamava-mos de tia Encarnação, boa senhora que nos secava a roupa e nos dava uma malga de sopa, atenção que outras pessoas também o faziam não vou mencionar o nome de todas porque eram muitas! Por mim que a terra lhe seja leve estejam onde estiverem e Deus vos ilumine como a ajuda que nos deram… A todas obrigado!

Muito mais tenho para contar dos tempos difíceis das nossas gentes que com muito sacrifício sempre souberam honrar o nome da nossa terra o GOULINHO, mas por hoje fico por aqui…

Até à próxima!

 

publicado por vozdogoulinho às 11:40
link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De Lourdes Filipe Martinho a 14 de Fevereiro de 2009 às 01:42
Precioso testemunho da vida dura e muitas vezes ingrata da região serrana. Parabéns.
De Expo Estrela - Manteigas 2009 a 16 de Fevereiro de 2009 às 19:39
XVI Mostra de Actividades e Feira de Artesanato, Dias 21, 22, 23 e 24 de Fevereiro de 2009
De Yelva a 19 de Fevereiro de 2009 às 09:26
F E L I C I D A D E S
De Yelva a 23 de Fevereiro de 2009 às 14:35
gosto de ti, daqui, de teus amigos (conheço quase nada_dívida do coração a pagar e s p e r a n ç a)

de Portugal...


F E L I C I D A D E S

ganhei muitos presentes em 2008
e um deles sem dúvida foi, é o Goulinho

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.links

.as minhas fotos

blogs SAPO

.subscrever feeds