As noticias e comentários do dia a dia de uma pequena aldeia da freguesia de Aldeia das Dez no concelho de Oliveira do Hospital.

.Novas noticias

. Nevoeiro de verão

. O CHEIRO DA SERRA

. SÓ DIGO A VERDADE

. PUREZA DE ESPIRITO

. RIO ALVA

. GOULINHO ESTÁ MAIS ...

. MONTE DO COLCURINHO

. FALSOS CRENTES

. ALDEIA DAS DEZ É LIN...

. GOULINHO --- REQUALIF...

. RECORDAR É VIVER

. AMAR A VIDA

. SENHORA DAS PRECES

. TOPONIMIA NO GOULINHO

. GENTE DO POVO

. A MINHA APRESENTAÇÃO

. O QUE SERÁ DO MEU GO...

. RECADOS

. ERICA VULGARES-----URZE

. MARCHA DO GOULINHO

.arquivos

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

Segunda-feira, 1 de Dezembro de 2008

História do Santuário de Nossa Senhora das Preces IV

A Romaria

 

Uma das mais movimentadas romarias da Beira era sem dúvida a da Senhora das Preces que por ocasião da tradicional festa do Espírito Santo, nem o empinado e fragoso do terreno nem as poucas ou nenhumas comodidades evitavam que naqueles dias milhares de pessoas subissem a serra por vezes bem elevada e agreste ou transponham montes e vales por caminhos ásperos e muito difíceis.

Já na sexta-feira chegava alegres ranchos de romeiros com os seus trajes domingueiros e por vezes garridos e no sábado então desde o romper da aurora até noite escura os ranchos não cessavam os caminhos cheiinhos debitavam gente para o mais belo Santuário, atingindo no domingo largos milhares.

Era lindo ouvir de vários lados aqueles cânticos populares acompanhados de vários instrumentos musicais.

Virgem Senhora das Preces
Pequenina e formosa
Vem gente de muito longe
Para ver tão linda rosa

Virgem Senhora das Preces
Vide em baixo, dai-me a mão
A ladeira é comprida
Falta-me a respiração

É gente dos lados de Pomares de Alvouco de Várzeas... de facto daqueles lados os caminhos são muito íngremes mas quem quer festa…soa-lhe a testa como diz o nosso povo.

Vinha gente de terras muito distantes, tendo de andar a pé muitos quilómetros para cumprirem suas promessas, vinham de Vila Nova do Ceira--Carregal do Sal--Unhais da Serra --Loriga--Cebola hoje São Jorge da Beira-- Arganil--Seia--Pampilhosa da Serra --Castelo Branco--São João da madeira--Penacova-- Viseu  e muitas mais, que é difícil enumerar.

No sábado e domingo o movimento em volta da igreja não cessava um instante. Os peregrinos cumprindo as suas promessas ora de pé ora de joelhos mostram a sua fé há virgem mãe do Céu. Dentro da igreja os actos religiosos decorriam com muito respeito.

Os sacerdotes não tinham mãos a medir porque eram muitos os peregrinos que se queriam confessar para obter o perdão das suas culpas  tanto homens, rapazes e mulheres.

No sábado era costume haver missa cantada sermão feito por grandes pregadores ao meio dia á noite pregação e terço com cânticos apropriados.

No domingo (dia principal da festa) logo pela manhã tínhamos missa com comunhão dos peregrinos ao meio dia havia missa cantada acompanhada de grande instrumental sermão feito por distintos oradores seguindo-se a grande procissão que é um dos momentos mais imponentes.

A majestosa procissão em que sobressai o andor de Nossa senhora das Preces dá a volta às capelinhas por entre muitos milhares de pessoas, é um mar de gente a saudar a miraculosa Rainha do Céu. É um espectáculo grandioso tendo ainda a realça-lo a forma do terreno ser em anfiteatro.

Ao meio da tarde principia a debandada os ranchos de terras vizinhas agrupam-se pegam nos seus cestos ou cabazes em que trouxeram as saborosas merendas e que agora vão mais leves retomam os seus caminhos em direcção às suas terras. Os de mais longe ficavam para o dia seguinte saindo ao romper da aurora de segunda-feira. Todos se retiravam a cantar canções à Virgem.

Virgem Senhora das Preces
Minha mãe, Minha Madrinha
Eu já vim à vossa casa
Vinde vós agora à minha
 
E lá vão andando e cantando com pena de deixar aquele lugar sagrado mas com a ideia de no ano seguinte voltarem.

 

publicado por vozdogoulinho às 10:12
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De luantes a 8 de Dezembro de 2008 às 10:05
lembro me de gentes da minha aldeia partirem a pé em direcção a Aldeia das Dez para assistirem a festa de Nossa Senhora das preces de onde traziam sempre uma recordação
APROVEITO PARA DESEJAR AO POVO DO GOULINHO E EM ESPECIAL AO MEU AMIGO ANTÓNIO ASSUNÇÃO E SUA FAMILIA UM SANTO E FELIZ NATAL
BOAS FESTAS

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.links

.as minhas fotos

blogs SAPO

.subscrever feeds